Portugal / Português
You're looking at the Português version of the website. Don’t worry. We’ve all taken a wrong turn before. Choose a different version of the website here.

Passadeira personalizada da Trek Uma vez que não existia uma passadeira capaz de acompanhar os seus objetivos, a Trek Performance Research criou a sua própria passadeira

Passadeira personalizada da Trek Uma vez que não existia uma passadeira capaz de acompanhar os seus objetivos, a Trek Performance Research criou a sua própria passadeira

A inovação na engenharia da Trek é sempre feita a um ritmo acelerado, pelo que nunca faltam novas ideias.  Assim, o nosso processo de inovação depende da nossa capacidade de testar rapidamente protótipos para comprovar o que funciona e o que não funciona.

A passadeira personalizada da Trek permite-nos fazer exatamente isso. Esta é a história de como tudo se concretizou.

Antigamente, existiam duas formas de testar o desempenho de um protótipo: testes em laboratório e testes de condução.

Em 2014, percebemos que podíamos aumentar a nossa capacidade de inovação de forma rápida e precisa se conseguíssemos combinar as vantagens destes dois tipos de testes.

Começámos por fazer moldes das mesmas estradas que tinham sido fundamentais para os nossos testes de condução, incluindo o famoso pavé das Clássicas da Primavera. Durante gerações, estas históricas calçadas europeias têm sido o local de testes tanto para os ciclistas, como para o equipamento. Decidimos recriá-las em Waterloo.

Então, começámos a investigar formas de transformar estes moldes em algo que pudéssemos utilizar para testes na sede da Trek.  A ideia que surgiu de imediato foi tentar construir uma pista de teste em betão.

laser scanning the cobbles mold

Depois de explorarmos esta ideia com algum sucesso, percebemos que uma pista de teste em betão não resolve muitos dos aspetos inconsistentes dos testes de condução, como a velocidade do ciclista, a escolha da trajetória, as condições do vento, entre outros.

Então, decidimos fazer algo de extravagante. Graças ao scanner a laser do nosso laboratório de metrologia, criámos um modelo informático 3D altamente detalhado destas texturas rodoviárias.

Uma das principais vantagens destes modelos 3D foi a nossa capacidade de definir escolhas da tajetória consistentes em todos os pisos, eliminando a enorme fonte de inconsistências nos testes em estrada.

A concept for adding a cobblestone profile to an existing lab machine.

O plano inicial era replicar estes contornos de saliências numa máquina de testes com um tambor enorme que tínhamos no laboratório de testes. Contudo, após alguma análise, decidimos que isso ainda não era suficientemente realista.

Woodway treadmills in Trek's fitness center

Foi então que, durante um treino na hora de almoço no ginásio da Trek, surgiu um momento de inspiração. Na altura, sabíamos que as passadeiras de bicicleta estavam a ser utilizadas em alguns laboratórios académicos, mas tínhamos descartado a ideia porque a correia de borracha de uma passadeira só conseguia suportar saliências pequenas e simples.

No entanto, as passadeiras Woodway do nosso ginásio eram diferentes. Em vez de uma correia de borracha, a superfície de corrida era composta por ripas rígidas que se assemelhavam às lagartas dos tanques para criar uma plataforma sólida de corrida. Com isto, já podíamos trabalhar.

Curiosamente, a sede da Woodway fica apenas a 64 quilómetros de Waterloo. Entrámos em contacto com a Woodway por e-mail e, mais tarde, visitámos a sua fábrica. Falámos com os engenheiros da Woodway e até experimentámos a sua passadeira de investigação e desenvolvimento.

Getting into the details at the Woodway Factory.

Após termos feito mais algumas visitas para testar as nossas ideias de replicação de estradas do mundo real, colaborámos com os engenheiros da Woodway na criação de uma passadeira personalizada e inédita para testes de bicicleta.

O Engenheiro de Estradas da Trek, Alex Bedinghaus, leva a nova Madone aos seus limites. Com velocidades de 40 km/h e uma inclinação até 35%, o arnês não é um acessório de moda facultativo.

Esta passadeira pode atingir velocidades até 40 km/h e uma inclinação até 35%, mas a parte mais importante é que podemos replicar terrenos desde estradas lisas até superfícies variáveis com pedras e raízes com um relevo superior a 50 mm.

Installing a continuous surface texture made from laser scanning a gravel road.

Embora façamos sempre os tradicionais testes de laboratório e testes de condução, a passadeira proporciona uma oportunidade adicional para um método altamente controlado e totalmente realista que permite testar os protótipos das nossas novas ideias. Além disso, quando combinada com a nossa câmara de alta velocidade, dá-nos novas e incríveis perceções sobre a física inerente ao ciclismo.

A passadeira tornou-se a peça central do Trek Performance Research Center onde, atualmente, os engenheiros da Trek criam inovações a um ritmo sem precedentes.

About the Author: Trek Performance Research

Trek may have been born in a barn, but it was raised on rocket science. Trek Performance Research is the driving R&D force behind developing the industry’s most innovative products.