Brazil / Português
You're looking at the Português version of the website. Don’t worry. We’ve all taken a wrong turn before. Choose a different version of the website here.

O mundo é do Mads! Mads Pedersen, da Trek-Segafredo, é o novo campeão mundial pelo UCI Road

O mundo é do Mads! Mads Pedersen, da Trek-Segafredo, é o novo campeão mundial pelo UCI Road

HARROGATE, ENGLAND - SEPTEMBER 29: Arrival / Mads Pedersen of Denmark / Celebration / during the 92nd UCI Road World Championships 2019, Men Elite Road Race a 261,8km race from Leeds to Harrogate 125m / RR / @Yorkshire2019 / #Yorkshire2019 / on September 29, 2019 in Harrogate, England. (Photo by Tim de Waele/Getty Images) z

Mads Pedersen terminou em segundo lugar, atrás de Mathieu van der Poel, nos campeonatos mundiais de Juniores em 2013. E no domingo, seis anos depois, no Campeonato Mundial de 2019 em Harrogate, Yorkshire, os dois se encontrariam novamente, lutando por outro título mundial, mas em circunstâncias muito diferentes.

Toda a conversa antes da corrida masculina de elite era sobre o favorito, van der Poel. E Pedersen? Ele não era sequer o líder da Dinamarca, que tinha ciclistas mais experientes e premiados, com Michael Valgren e Jakob Fuglsang.

Mas foi van der Poel quem cedeu com pouco mais de 12 quilômetros restantes, e Mads Pedersen, nem mesmo era cotado para a vitória, seguiria para conquistar o maior feito de sua vida: Campeão do Mundo aos 23 anos de idade, em uma corrida épica e encharcada de chuva em Yorkshire, em que os únicos sobreviventes foram os mais fortes.

“É inacreditável. Eu não esperava isso quando largamos essa manhã. Foi um dia inacreditável”, disse Pedersen, sem palavras para o que tinha acabado de fazer.

Em um sprint de três corridas até as cobiçadas listras arco-íris, ele não estava nem perto. No final de uma corrida fria, úmida e cansativa 262 quilômetros, Pedersen mostrou que era o mais forte.

Quando parecia provável que o breakaway que se formou nas voltas finais iria permanecer, todos pensaram que a corrida era certamente de van der Poel. E quando o holandês cedeu de repente, então todos apontaram para o italiano Matteo Trentin, outro favorito. Ninguém realmente considerou o jovem dinamarquês. Mas em um Campeonato Mundial de estilo clássico, Pedersen mostrou seu incrível talento novamente: ele terminou em segundo lugar no Tour of Flanders em 2018.

“O plano da equipe era me tirar nas primeiras voltas da final e então (os colegas de equipe) Valgren e Fuglsang viriam de trás. Mas no final, eles não seguiram van der Poel e Trentin quando vieram para o meu grupo. A partir daí foi só sobreviver, sobreviver, sobreviver e depois esperar pelo melhor no sprint”, explicou Pedersen.

Entrando na última volta, cinco ciclistas lideravam a corrida: van der Poel, Pedersen, Trentin, Stefan Küng, da Suíça, e Gianni Moscon, que dava à Itália o que parecia ser uma vantagem. Quando van der Poel surpreendentemente explodiu no início do circuito final e Moscon, que antes tinha caído e voltado para o grupo, perdeu o controle de vez na subida, coube ao trio lutar pelas medalhas.

Pedersen ganhou uma medalha, mas todos pensavam que Trentin ganharia o sprint de três corridas.

Após seis horas e meia em condições cruéis, com Pedersen liderando o sprint, Trentin saltou para primeiro e abriu vantagem na liderança.

Mas o jovem dinamarquês riu por último.

“Eu só esperava que quando visse a linha de chegada, toda a dor desaparecesse, e eu pudesse fazer um bom sprint. São seis horas e meia na bike, então todos estavam no limite e qualquer coisa poderia acontecer naquele sprint”, disse Pedersen.

“Foi preciso ficar concentrado o dia todo e estar à frente o tempo todo. Mas é uma das últimas corridas da temporada, então é tudo uma questão de manter esse foco por seis horas e meia e não ter azar e esperar pelo melhor. É o sonho de qualquer ciclista usar essa camiseta, e poder fazer isso para mim agora? É inacreditável.”

O Pedersen teve dificuldades no início da temporada de 2019, mas sua forma e confiança cresceram no último mês. Há uma semana, Pedersen finalmente venceu a sua primeira corrida da temporada, o Grand Prix d’Isbergues.

E em um domingo molhado em Harrogate, ele venceu a segunda.

About the Author: Trek

Our mission: we build only products we love, provide incredible hospitality to our customers, and change the world by getting more people on bikes.