Portugal / Português
You're looking at the Português version of the website. Don’t worry. We’ve all taken a wrong turn before. Choose a different version of the website here.

Amor à primeira vista O Gestor de Design Industrial da Trek revela por que é que o aspeto conta

Amor à primeira vista O Gestor de Design Industrial da Trek revela por que é que o aspeto conta

Numa tarde de sexta-feira, há quase 20 anos, mencionei a um colega que queria comprar um Cadillac antigo. Ele disse-me para ver no eBay, uma nova plataforma de vendas online para tudo o que existia.

Após alguns cliques ali estava ele: um Cadillac Sedan DeVille de 1968 com um V8 de 8.4 litros. Verde pinho prateado. Isto pode não significar nada para ti a não ser que sejas um fanático por carros como eu, mas toda a gente sabe qual a sensação que nos assalta quando nos apaixonamos por algo. A racionalidade sai pela janela fora.

Assim sendo, percebi como podia fazer uma licitação, sem perceber exatamente o alcance das implicações do que estava a fazer e, num espaço de poucas horas, era meu. Havia apenas um problema: o carro estava em Montana e eu estava no Wisconsin.

Mas naquele momento, o carro até podia estar na lua que eu não queria saber. Eu vi-o, adorei-o e tinha que o ter e nada me iria deter. Isto tudo para dizer que a estética evoca emoções. Lembro-me muitas vezes desse sentimento por que é o que eu quero que as pessoas sintam quando veem as nossas bicicletas. O amor é a coisa mais poderosa.

O amor é uma emoção poderosa e quero que os ciclistas adorem o design das nossas bicicletas.

O aspeto conta

O que nós temos comunica alguma coisa sobre nós. Quando alguém acorda, veste o equipamento e sai a pedalar na sua bicicleta de carbono, não o faz apenas pelo exercício. Estão a viver uma experiência que escolheram, dizem ao mundo aquilo que gostam e o que mais lhes importa. O que nós fazemos é ajudar a selecionar essa experiência.

O amor conta

Temos tido grandes discussões na minha equipa acerca de devermos fazer coisas que adoramos ou coisas que pensamos que os clientes vão adorar. É uma questão válida. Mas continuamos a voltar a isto: se não adoramos, é porque ainda não estamos lá. Se formos apaixonados acerca do que fazemos e fizermos o que adoramos, tudo o resto acontece. É como qualquer outro trabalho artístico ou de performance. Se puseres o teu coração nisso, as pessoas vão senti-lo. É tão mais fácil vender algo que adoramos.

Quando o amor é a referência, tudo importa.

A honestidade conta

Olhas em volta nas nossas reuniões de design e tens centenas de anos de experiência combinada. Se essas pessoas não forem honestas, estão a prestar um péssimo serviço a nós todos. Quando dizem o que estão a pensar, para o melhor e para o pior, não te estão a dizer o que deve ser. Estão apenas a dizer que ainda não estamos lá.

O respeito conta

Seja uma bicicleta de 500 euros ou uma de 15 mil euros, ambas são tratadas com o mesmo respeito. Temos que adorar. Quando o amor é a referência, tudo é importante. Estamos empenhados em fazer com que a experiência de andar numa bicicleta da Trek seja ótima.

Hoje em dia

O design está na vanguarda de tudo o que fazemos e temos peritos em todas as categorias. Estamos constantemente a lançar produtos novos e todos estão ao nível deste padrão incrivelmente alto. O que descobrimos é que adorar o que fazemos é a melhor forma de garantir que estamos a aprender, a crescer e a fazer o melhor produto.

About the Author: Steve Baumann

Steve Baumann is the Director of Product Design at Trek Bicycle. If it has speed, he's into it. When he's not in Waterloo, he's most likely to be found on the side of a hill or in the water with his family or cruising in his 1968 Cadillac Deville.