Brazil / Português
You're looking at the Português version of the website. Don’t worry. We’ve all taken a wrong turn before. Choose a different version of the website here.

Preparando o necessário para o Tour: Parte 3 No capítulo final de nossa série de três partes, explorando quase todas as peças necessárias usadas pela Trek-Segafredo no Tour, discutimos kits, veículos e café - ou seja, as coisas que realmente impulsionam os ciclistas

Preparando o necessário para o Tour: Parte 3 No capítulo final de nossa série de três partes, explorando quase todas as peças necessárias usadas pela Trek-Segafredo no Tour, discutimos kits, veículos e café - ou seja, as coisas que realmente impulsionam os ciclistas

Fato: Ninguém nunca pedalou mais devagar porque estava bonito demais.

É por isso que a Santini leva a sério seu relacionamento com a Trek-Segafredo, começando no campo de treinamento de dezembro, onde cada ciclista recebe mais de 200 peças de equipamento em uma caixa ecologicamente correta, isenta de plástico. Todas as meias, bretelles e kits são inspecionados quanto à qualidade antes de serem entregues aos ciclistas para que eles fiquem com suas melhores aparências e se sintam bem.

A Santini também entrega as roupas durante a temporada de clássicos e Grand Tours. A equipe coloca seu pedido para o Tour de France cerca de dois meses antes da Grand Départ para que os ciclistas possam receber tudo o que desejam, a tempo. Cada ciclista recebe uma remessa individualizada que pode ser parecida com esta:

  • 2 Camisetas para corrida
  • 1 Camisetas de verão
  • 2 Camisetas térmicas de mangas compridas
  • 2 Bretelles curtos
  • 2 Bretelles para corrida
  • 2 Bretelles para corrida de verão
  • 2 Bretelles para provas contrarrelógio

O ônibus da equipe carrega duas peças sobressalentes de cada peça de roupa em todos os tamanhos – PP, P e M – e é reabastecido entre as corridas, no centro de serviços da Bélgica, conforme necessário.

Claro, competir em um Grand Tour significa estar preparado para usar cores diferentes das do seu kit padrão. O próprio Tour fornece a camiseta para os ciclistas que acabam vestindo amarelo, verde, bolinhas ou branco, mas a Santini oferece bretelles curtos, luvas e meias à equipe para combinar, caso haja necessidade.

Os óculos são uma fonte importante de forma e funcionalidade para uma equipe de Tour. A Koo disponibiliza a Trek-Segafredo com uma versão customizada colorida de seus óculos de sol Demos para combinar com o kit da equipe, bem como com versões que combinam com as camisetas do líder no Giro d’Italia, Tour de France e Vuelta a España caso um ciclista da Trek-Segafredo assuma a classificação geral em qualquer uma dessas corridas.

Como a Santini, a Koo leva seus produtos a sério; a empresa gosta de se encontrar com os ciclistas sempre que pode para se certificar que estão satisfeitos com seus óculos. Infelizmente, a pandemia atrapalhou as visitas presenciais que a Koo gostaria de poder fazer.

“No início da temporada costumamos organizar um encontro com a equipe durante os períodos nos campos de treinamento para conhecer os novos atletas e apresentar nossas novidades”, afirma Simona Tironi, coordenadora de Marketing da Koo. “Coletamos as necessidades e os feedbacks sobre o produto de cada atleta para aprimorar nossa coleção e desenvolver novos produtos. Infelizmente, devido à pandemia, não pudemos nos encontrar com a equipe porque o contato direto não foi possível”.

Como a Santini, a Koo administra sua própria fabricação na Itália, o que ajudou as duas empresas a superar as dificuldades de transporte que muitas outras enfrentaram.

No que diz respeito às armas secretas, o impacto do co-patrocinador Segafredo não pode passar desapercebido. A empresa de café assinou novamente com a Trek até 2023, o que significa que no futuro próximo, os ciclistas não terão que se preocupar com sua próxima xícara de café espresso.

Antes do Tour de France de 2020, a Segafredo se esforçou para garantir que a equipe nunca tivesse que ir muito longe para conseguir um espresso. De acordo com Véronique Levasseur, que supervisiona o patrocínio da empresa no Tour de France, a Segafredo procurou cada um dos hotéis da equipe de todas as etapas, para garantir que o café Segafredo fosse oferecido no café da manhã. A empresa também mantém o ônibus da equipe bem abastecido com cápsulas de café.

O diretor técnico da Trek-Segafredo, Matt Shriver, estimou conservadoramente que cada ciclista bebe três espressos por dia durante o Tour, que resulta em 552 para a duração de 23 dias entre os ciclistas. É suficiente dizer que a cafeína ajuda a administrar a equipe de várias maneiras.

Nada motiva a equipe tão literalmente quanto a Toyota, no entanto. Durante uma etapa do Tour de France, pode haver até sete Corollas personalizados Trek no percurso – dois para os diretores de esportes, quatro para o vai e vem dos mecânicos e soigneurs para as áreas importantes do percurso e ocasionalmente, um sétimo fazendo reconhecimento de 20 a 30 minutos adiante pela estrada, informando as condições do tempo e da estrada. Os veículos da equipe são centros de comando móveis, contendo televisores, várias configurações de rádio e tablets para acompanhar tudo que está acontecendo na corrida. O Corolla Trek também foi um dos primeiros veículos do pelotão com motor híbrido.

Além dos carros, a Trek-Segafredo também tem duas vans Proace Verso da Toyota à sua disposição. Esses veículos muitas vezes desempenham papéis essenciais, conduzindo equipamentos e produtos importantes do centro de serviços de Deinze, na Bélgica, para locais em toda a França. Às vezes, a equipe pode precisar de uma nova roda, quadro para provas contrarrelógio ou pistola massageadora urgente. Nessas situações, um veículo confiável pode ser um salva-vidas.

“Normalmente é nossa culpa porque esquecemos de trazer algo,” Shriver ri. “Ou está apressado e às vezes você passa pelas coisas depressa demais. Ocorre um grande acidente e então, bang, precisamos de um monte de material”.

Mesmo com o planejamento intensivo que envolve cada Tour de France, complicações inevitavelmente surgirão e atrapalharão o complexo funcionamento interno da equipe. Nessas situações, ter parceiros responsivos pode fazer uma grande diferença nos dias de corrida.

Quando tudo dá certo, um ciclista de equipe comemorará o final de uma etapa do Tour com os braços no ar, e o público fica sem saber dos enormes desafios de coordenação logística enfrentados para levá-lo até lá.

About the Author: Trek

Our mission: we build only products we love, provide incredible hospitality to our customers, and change the world by getting more people on bikes.